Seja Bem Vindo a Bordo!

Informações Náuticas

... 100 DICAS DE NÁUTICA por Álvaro Otranto 

 

O homem navega desde os primórdios da civilização.
Foi quando descobriu que ao se agarrar num tronco que flutuava conseguia se deslocar ao sabor da corrente de um local a outro.
Depois, provavelmente, usou os pés, depois grandes varas de madeira, até criar os remos, etc, etc até chegar ao hidrojato e a experimental suspensão eletromagnética, que está mais para aeronáutica do que para o nosso assunto.
Reunimos aqui cem entre as milhões de informações que poderíamos e gostaríamos de lhes passar, quem sabe quando chegarmos a edição número 200 possamos aumentar um pouco o leque e até dobrar estas ...

 

ÁGUA
Em travessias não confie apenas em um único tanque central, leve uma quantidade extra de água em bujões plásticos pois ela poderá vir a ser seu suprimento principal no caso de contaminação ou vazamento do tanque principal.
Periodicamente ou após encher seu tanque com água de qualidade duvidosa adicione a quantidade indicada de produto químico a base de cloro, tipo Hidrosteril ou outro, mesmo que só consuma água para chuveirinho.
Tenha a bordo uma sacola com o maior número de adaptadores para mangueira possível além de um esguicho reserva, alguns Clubes e Marinas não fornecem água para quem não utiliza esguicho.Sacolas importadas próprias ou um reservatório de água em côr escura deixados ao sol no convés podem substituir caros equipamentos para aquecimento de água. Verifique se há mangueira ou se o chuveirinho de pôpa alcança a tomada de água do radiador de seu motor, para poder completá-lo em caso de verificação regular ou aquecimento imprevisto.
 


ALIMENTAÇÃO

Poucos prazeres superam o cozinhar e comer à bordo, porém os excessos de óleo e gorduras pode atingir equipamentos eletrônicos e tripulantes mais fragilmente mareados trazendo resultados,por vezes calamitosos.
Em grandes viagens oceânicas não confie sua sobrevivência as qualidades de seu freezer e leve um rancho mais resistente as intempéries, seja umidade ou altas temperaturas, assim não morrerá de fome se o congelador for para "cucuias".
Nunca saia sem água potável à bordo, nem que seja apenas para um pequeno passeio nas proximidades, garrafas de PVC não ocupam espaço e são vitais.
Sabemos que é pedir muito mas álcool, nem no motor. A não ser que esteja frio e chovendo, não promova almoços pantagruélicos à bordo, o mergulho da tarde correria o risco de estragar a festa ou a vida de alguém menos comedido.


AMARRAÇÃO
Cabos nunca são demais quando o tempo vira e as coisas ficam dificeis de serem controladas. Mantenha um belo estoque à bordo e deixe fluir o Capitão Vasco Moscoso de Aragão que existe em cada um de nós.
Quando estiver amarrado ao cais pela pôpa, evite vizinhos muito grandes - tenha em mente o funcionamento de um quebra-nozes e cuide-se.
Evite largar sua âncora muito longe, pricipalmente se você usa um daqueles medonhos cabos flutuantes, causará e terá problemas com barcos que venham a manobrar muito próximo de você. É melhor uma âncora pequena de confiança que uma grande poita desconhecida.us, "in natura", pendurados que vão destruir sua pintura.


CASCO

Antes de aplicar a primeira tinta venenosa limpe muito bem os eventuais resíduos dos desmoldantes usados no estaleiro, tipo cera de carnaúba e outros, eles podem colocar todo um serviço a perder.Cascos de alumínio não podem levar tintas a base de cobre, a corrente galvânica produzirá um tipo de corrosão conhecida por micro-furos que ataca toda extensão do casco.Quando colocar o barco após receber pintura venenosa, mergulhe e passe uma esponja grossa ou luva de pescador para que a tinta seja ativada e fique livre de películas oleosas que podem aderir ao casco no momento de entrar em águas poluídas.Cascos de madeira precisam subir todos os anos, e atenção ,pois gusano não é um bicho apenas europeu e é muito ativo também em nossas águas.Evite a qualquer custo fibrar um casco de madeira pois a fibra impede que a madeira "respire" e esta acaba por apodrecer.


COMBUSTÍVEL
É uma dificil equação: mantenha o tanque cheio para que não se forme condensação nas paredes do mesmo, a água formada ficará decantada no fundo do tanque e será a primeira a chegar no motor. Por outro lado não permita que o combustível envelheça a bordo, 15 dias bastam para que a gasolina perca algumas de sua características.Informe-se com os barcos da região antes de abastecer num posto desconhecido. Combustível de má qualidade ataca as partes mais delicadas e caras dos motores.Não modifique por conta própria as dosagens de óleo dos tempos de seu motor ou adicione aditivos duvidosos, obedeça as instruções dadas por escrito pelo fabricante.Filtro separador de água não é automático, limpe e drene regularmente seu copo inferior, principalmente com o motor em funcionamento.Desmonte, limpe e até lave semestralmente o tanque de combustível de seu motor de pôpa, faça o mesmo com os filtros de linha caso os tenha instalado.


COMUNICAÇÃO

Se sua embarcação é de medio ou grande porte, instale uma bateria exclusiva para o rádio.Instrua sempre que sair a um outro tripulante a utilização do radio VHF, como transmitir, o que e para quem no caso de vir a ocorrer alguma emergência à bordo.Ligue regularmente os rádios para que a umidade não venha a danificá-los e não brinque quando a antena estiver desconectada , pois poderá queimar seu transmissor.Um VHF portátil num saco plástico estanque pode ser mais importante que qualquer celular da face da terra. Respeite as frequências exclusivas de chamada, e não se esqueça que os barcos patrulha da Marinha operam no canal 16 e não adianda fingir que não é com você.


DOCANDO

Alguns barcos docam semanalmente, outros apenas raramente, porém alguns cuidados devem ser tomados regularmente como retirada de ralos para limpeza de cracas, verificação das buchas do eixo e do leme, verificação do alinhamento e um necessário passe no eixo e verificação do estado dos anodos, lembre-se anodo corroído é sinal de bom aterramento e boa qualidade do zinco.Caso não conheça o estaleiro que vai docar, tome informação com os barcos da região incluindo se há ocorrência de furtos nos barcos docados.Inclua em sua previsão de gastos um local para hospedagem da tripulação durante o período que não será possível a plena utilização das instalações do barco.Tome um cuidado especial em estaleiros que trabalham com jateamento de areia de cascos metálicos, as nuvens deste pó costumam invadir os barcos mais herméticos trazendo muito trabalho e até prejuizo aos barcos nas proximidades.Se pretende realizar trabalho extensivo de pintura enquanto docado, tome cuidado na escolha do local e época do ano, lugares muito úmidos e época muito fria farão prolongar o número de diárias necessárias e resultarão em bolhas e má qualidade do serviço.


ELÉTRICA
A parte elétrica é o coração de um barco, gambiarras e gatilhos podem "disparar" na hora errada levando seu passeio literalmente por água abaixo. Faça um profissional de sua confiança revisar regularmente suas instalações.As baterias podem ter vida longa á bordo caso sejam tratadas com o devido cuidado, nunca deixe cair a carga a menos de 80%, uma vez descarregadas dificilmente voltarão a segurar carga como antigamente.Não só os bornes das baterias mas todo e qualquer tipo de contato elétrico deve ser limpo, às vezes lixado e bem apertado recebendo uma camada de spray específico para contatos ou nafalta destes uma camada de óleo protetor tipo WD.Para limpar as baterias e seus contatos prefira uma solução de água e bicarbonato de sódio, na falta deste água bem quente resolve o problema.Fique de olho nos contatos do aterramento, falhas podem danificar equipamentos eletrônicos importantes e até mesmo vir a corroer os hélices da embarcação. 


NAVEGAÇÃO

Tenha em mente que qualquer equipamento eletrônico à bordo não passa de um auxílio à navegação e que nada substitue a experiência.Se você é um saudosista e pretende comprar um sextante, seja um saudosista inteligente e compre um de plástico, sextantes antigos são relíquias e devem ficar em casa para decoração e os de uso profissional necessitam de cuidados especiais e um outro ambiente que não é o cockpit borrifento e oscilante de um veleiro em travessia.O radio-goniômetro, apesar dos pesare,s ainda funciona e continua sendo largamente utilizado pela frota pesqueira do país.Se pretende navegar pelo litoral do sul do país tenha anotado em letras vermelhas em sua carta do litoral riograndense, qualquer profundidade abaixo da quilha é boa desde que comece com 100 metros.Quando for iniciar uma travessia, prefira largar de madrugada. Caso alguma coisa venha a quebrar você ainda terá um dia de luz pela frente antes que a escuridão chegue com todas suas implicações.


VELOCIDADE 

Assim como nas pistas, velocidade é para pessoas treinadas e habituadas em faze-lo, se você tem a mão pesada na manete, esteja certo daquilo que está fazendo.Aproximar-se em alta velocidade do local de atracação é má prática, pois suas próprias marolas vão alcançá-lo dificultando sua manobra e até causando acidentes contra outros barcos.Evite arrancar quando estiver próximo a outras embarcações algumas embarcações podem perder parcialmente o controle de direção neste momento. Cruzar uma área de fundeio em alta velocidade é algo deplorável, não assine um diploma de barbeiro em frente a toda uma comunidade náutica.


MERGULHO 
Não é a minha praia, Ted e Rico tem milhões de dicas mais bem comportadas.Mergulho é como sexo, só é bom a dois. Mesmo quando mergulhar em grupo ou em pequenas multidões arrange um companheiro para guarda-costas e tenha um belo passeio profundo.Sexo II - Assim como nos preservativos usar duas garrafas só aumenta o risco de quem não usa a tabelinha com a devida atenção e eficiência. 


CRUZEIRANDO NAS FÉRIAS 
Se você tem seu barco na região sudeste, agora é tarde demais para uma viagem ao litoral da Bahia, os alísios já mudaram de direção e o trecho entre Cabo Frio e Abrolhos não pode ser contornado por fora ,como normalmente se faz durante o inverno.Aproveite então o Nordestão e conheça os encantos de Santa Catarina, disparado o mais adaptado a um cruzeiro entre os estados do sul do país. Enseadas como as de São Francisco do Sul e Porto Belo são imperdíveis. Além de um Carnaval de sair faísca !Fernando de Noronha também é outro ponto que durante o verão não é uma pedida muito segura, pois os ventos de Nordeste castigam todo o Norte da Ilha transformando o fundeadouro da Vila dos Remédios num caso sério, sendo necessários muita atenção,muita corrente e muita sorte.Se você prefere a região de Angra, prepare uma bela tolda e troque o óleo do motor, o calor naquela região durante o verão é bastante forte e há normalmente pouco vento. Evite a parte Noroeste da Baía da Ilha Grande nos finais de tarde, chuva forte com raios, trovões e pouca visibilidade é prato quase certo nas imediações do Frade e Bracuhy.Se prefere ventos mais fortes como os da região de Búzios e Cabo Frio ou mesmo de Florianópolis, prepare-se para sofrer nos balanços causados pelo impiedoso vento de Nordeste. Os fundeadouros em algumas destas áreas são de má tensa, possuem uma infra-estrutura sofrível do ponto de vista de apoio náutico e no geral são pouco abrigados. A beleza da região quase sempre justifica pequenas incoveniências. 
 


CRUZEIRANDO PELOS PAMPAS 

Se pretende seguir os ventos e as águas turvas do sul rumo aos encantos e cassinos do Uruguai, prepare-se para voltar somente durante o outono do próximo ano, os ventos nordeste que varrem nosso litoral sul durante o verão são qualquer coisa de espantoso.Se mesmo assim ainda pretende baixar por aquelas "playas", nunca, mas nunca mesmo deixe a profundidade abaixo de sua quilha ficar menor que 100 metros, eu disse cem metros mesmo, deixe para ver as falésias de Torres em fotos ou por terra, é bem melhor que visitá-la de colete salva-vidas.No litoral do Uruguai prepare-se para ser vigiado por grandes antenas de radar e insistentes chamados de controle dos controles de tráfego da costa. Eles são meio chatos porém são muito eficientes em transmitir boletins de mau tempo e prestar apoio, nem que seja moral, durante as horas difiíeis que podem acontecer naquelas águas.Se você é "In" e vai para Punta del’ Este faça reserva antes pois não é fácil competir com os barcos argentinos que inundam as vagas da Marina daquele porto.Outro detalhe, a burocracia no Uruguai é quase um modo de vida, não deixe de levar uma documentação a toda prova e prepare seu espírito pois os procedimentos variam de acordo com o funcionário, a hora do dia ou mesmo a temperatura do mate.


HOTELARIA e MISTURÉBA 
Detetização é simples, tem baixo custo e economiza muito mau estar na hora de convencer garotas assustadas a descerem do mastro ao ver sua primeira baratinha à bordo.repetida # Quando receber muita gente terrestre à bordo explique as regras da casa, ou melhor, do barco e peça a colaboração de todos para manter um ambiente habitável, evitando que ao final do terceiro dia estejam em pé de guerra uns com os outros, ou que seu marinheiro de confiança se atire n’água.É normal com o calor que se forme condensação no interior do barco, ela costuma se alojar sob os colchonetes geralmente revestidos de material plástico, utilize aquele material dos filtros de purificadores de ar que são encontrados em qualquer supermercado sob os colchonetes, verá como seu barco fica menos grudento.Caso esteja atracado numa marina, não confie somente na energia de terra para conservar sua comida, as quedas de energia são uma constante em nosso litoral despreparado para o número de aparelhos de ar condicionado, micro-ondas e outros aparelhos comedores de energia durante os picos de consumo da temporada. Aconselho acione regularmente seu sistema alternativo e mantenha placas químicas ou barras de gelo para segurar a temperatura durante um blekaute.Caso vá fazer uma pequena travessia, prepare um rancho leve e resistente para os primeiros dias, algo fácil de pegar, de mastigar e engolir, nem muito doce, nem muito salgado e de preferência frio, seres urbanos normalmente mareiam após um longo período em terra.Se vai partir para um cruzeirão dê preferência a longas pernadas pois a tripulação mareia uma vez só e depois de curada é menos cansativo levar uma rotina de navegação do que os bordos e vigilância constante que se faz próximo do litoral.
Se o cruzeiro é de lancha rápida, não exagere no líquido pois não há bexiga que aguente muito solavanco, evitando assim paradas sucessivas para desembarcar o xixi da tripulação.Se vai aos Abrolhos não se esqueça de pedir autorização à Marinha para conhecer a Ilha de Santa Barbara não deixando de levar alguns jornais e revistas de presente para a guarnição do farol, com certeza são carentes de contatos com a civilização.Se você é um nautico-compulsivo mas não aguenta sofrer com tanta gente durante os verões do litoral não se esqueça que há um Brasil imenso, de água doce com recantos praticamente intocados e muitas e muitas milhas de rios e represas maravilhosos em nosso interior.

PAPELADA
Para evitar problemas desnecessários com a Policia Naval, deixe à bordo cópias autenticadas na própria Capitania dos principais documentos de sua embarcação incluindo de sua carteira de habilitação.As vistorias periódicas obrigatórias não existem mais, porém se você não estiver muito confiante no trabalho de segurança preventiva de seu capitão contrate um profissional do ramo ou peça a Autoridade Naval para proceder uma vistoria determinada em sua embarcação, é melhor prevenir do que ser barrado pelo patrulhamento da Capitania em seu único período de férias dos últimos anos.Quando for para o exterior não se esqueça do Certificado de Arqueação, dispensado internamente, lá fora é imprescindível para certas passagens, como exemplo, Canal do Panamá.Em países de primeiro, segundo e principalmente nos outros mundos esteja atento para a apresentação de listas de equipamentos, comida à bordo e outras exigências específicas de navios de carga que são aplicadas aos iates também.Antes de deixar nosso último porto faça uma lista (com cópias) dos equipamentos de origem estrangeira instalados ou transportados à bordo, peça que a Receita Federal inspecione e lhe de o reconhecimento e o carimbo necessários a que você entre com a mesma andaina no retorno desta viagem sem problemas aduaneiros. Não pense! 


PRIMEIROS SOCORROS  

Apesar da Marinha não exigir mais uma caixa de primeiros socorros à bordo de embarcações G e H é bom saber que os acidentes continuam acontecendo e que é preciso estar realmente preparados.Todo mergulhador sabe que o melhor remédio para acidentes com ouriço é uma boa pinça.Quando adquirir água oxigenada para a caixinha é bom trocar de embalagem pois é bem capaz dela acabar sendo usada para tarefas estéticas e não para cumprir o fim a que se destina.Não se esqueça antes de iniciar o verão de verificar a validade dos medicamentos e de avaliar os estragos que a umidade causou nos últimos meses.Repelentes de insetos e pomadas para queimaduras e picadas tipo Caladryl podem salvar seu passeio.


SEGURANÇA E SALVATAGEM 

Se você pilota um barco pequeno e gosta de velocidades elevadas, não esqueça de prender a "chave" do motor no pulso ou na roupa, deve ser triste ver o barco navegar sozinho seja para longe como para cima da gente.Tenha à bordo uma bandeira preta com cabo longo para poder fazer um sinal de socorro quando tudo mais não funcionar.Mantenha as crianças com colete salva-vidas, seja qual for o tamanho de seu barco.Numa travessia não confie apenas no material de sua balsa e prepare uma geladeira flutuante com material suplementar como arbalete, chocolates, bastões de luz química, pomadas, água e etc...Instalar uma válvula para esgoto de porão em conjunto com a bomba de água do motor, como nos pesqueiros, pode salvar sua embarcação de um sufoco.

FERRUGEM
Presente não só em barcos de aço, a ferrugem incomoda em qualquer tipo de embarcação, seus escorridos podem e devem ser combatidos com produtos específicos para este fim como ferlicon ou ferrox entre vários, não se esqueça de lavar com muita água doce os resíduos pois os mesmos atacam a pintura.Sempre que fizer qualquer instalação ou reparo à bordo certifique-se que não existem metais diferentes em contato direto, utilize uma arruela de borracha ou outro isolante entre eles para que não haja formação de corrente galvânica.Fique de olho se não há falta de vedação no corpo da bomba d’água do motor ou na tubulação ligada a ela, pois costuma vazar estragando a pintura do mesmo.Mesmo reluzentes descargas de aço inoxidável sofrem ataque da água salgada em elevada temperatura que circula por ela, fique atentoa micro-furos que surgem nas eventuais costuras da tubulação.Se seu barco possui válvulas de fundo de uso doméstico tipo gaveta que são ainda largamente utilizadas pelos estaleiros nacionais, fique atento e regularmente desmonte-as colocando em seu interior uma boa quantidade de graxa náutica, isto é, se ainda houver tempo. 

FUNDEIO
Leve em consideração os perigos mais próximos caso o vento venha a mudar de direção nas próximas horas, planeje enquanto tiver a luz do dia uma rota para uma possível fuga.Observe sempre os barcos já fundeados, principalmente os nativos da região, eles podem trazer informações importantes para um fundeio seguro.Mantenha uma luz acesa para indicar sua posição, uma boa opção são os bastões de luz química que não atraem insetos, não esquentam e não gastam bateria.Além da âncora de uso e de uma reserva é bom poder contar com a de garantia, bem mais pesada e dificil de guardar, mas que pode livrá-lo de um bom sufoco.Um capitão pode se valer de quaisquer meios para manter sua embarcação em segurança, inclusive mergulhar para confirmar se a âncora unhou de verdade.

HOTELARIA
No período que não utilizar o barco instrua seu marinheiro a recolher todas as partes móveis do relento, como colchonetes, bancos, mesas e até extintores para que não se percam pela ação das intempéries.Em barcos com pouca ventilação natural utilize desumidificadores para não chegar à bordo e sofrer um acesso de renite alérgica causado por fungos, mofos,ácaros e outros bichos.Detetização é simples, tem baixo custo e economiza muito mau estar na hora de convencer garotas assustadas a não se atirarem n’água ao ver a primeira baratinha à bordo.Cervejas e refrigerantes possuem data de validade e se estocados em quantidade sob forte temperaturas estouram e umidecem tudo a sua volta, libere-os para consumo quando for se ausentar por um período mais longo.Quando receber muita gente terrestre à bordo explique as regras da casa, ou melhor, do barco e peça a colaboração de todos para manter um ambiente habitável, evitando que ao final do terceiro dia estejam em pé de guerra uns com os outros, ou que seu marinheiro de confiança se atire n’água.


JET-SKIES
Tenha em mente que um jet é potencialmente mais perigoso que uma moto, estatisticamente as competições desta modalidade mandam mais gente para a UTI que nas pistas.Use o equipamento de segurança. Apesar do calor e do colete esconde parte de seus belos músculos, até hoje não houve vencedor da prova de nado desmaiado, morreram todos os competidores.Se você já conhece os rudimentos das manobras e possui um equilíbrio razoável, mantenha-se longe dos outros jets, a encrenca geralmente vêm dos exibicionaistas.Banhistas e jet são como destilados e fermentados, não se misturam.Tenha à bordo uma pomada tipo Hirudoide, bronzeado, pelinhos louros e hematomas não combinam.


METEREOLOGIA

Pelo menos dois dias antes da viagem ou passeio que pretenda fazer acompanhe os boletins do tempo para que não venha ser colhido por uma frente fria ou área de instabilidade.No entardecer verifique se o sol se põe avermelhado - isto é bom sinal. Ao amanhecer a côr laranja no céu e montanhas escuras que são o bom sinal.Em travessias anote regularmente de hora em hora a pressão do barômetro, temperatura, direção e intensidade do vento, as duas primeiras ajudam na previsão do tempo e as duas últimas além do tempo auxiliam na hora de calcular uma posição estimada.Se tiver de enfrentar uma noite de mau tempo, prefira a escuridão das grandes vagas de alto-mar que o impacto das grandes pedras ao procurar um abrigo na costa.Ao enfrentar uma chuva de verão tenha em mente que ela se desloca e o vento que a acompanha ronda, se possível não fundeie e tente passar pelo seu perímetro, a chuva as vezes agradável para amenizar a temperatura faz a visibilidade cair a zero no centro da tormenta podendo provocar acidentes contra outras embarcações.


MOTORES DE CENTRO

Verifique periodicamente os filtros de água de seu motor, impurezas das mais variadas origens podem causar sérios danos no caso de um super-aquecimento.Sniffers e outros alarmes de gás no porão podem salvar vidas quando se lida com motores de centro a gasolina, até mesmo uma má instalação dos exaustores pode causar a fagulha fatal.Vibrações anormais podem ser causadas por entradas de ar, má qualidade de combustível ou mais regularmente por dentes nos hélices ou sujeira pindurada nos pés de galinha ou hélices.Motores diesel devem ser aquecidos com rotação mais elevada e nunca em marcha lenta pois causa carbonização. Outra boa prática é levar o motor com carga até a rotação máxima por alguns minutos durante seus passeios para "limpar" os bicos.A maior dentre todas as causas de defeitos mecânicos, eletricos ou eletrônicos é a falta de uso.


MOTORES DE PÔPA

Tenha à bordo um par de velas novas, depois do combustível é a principal causa de defeitos neste tipo de motorização.Se por acaso a cordinha estourar e você não tiver outra coisa para usar, retire as velas, coloque um pouco de gasolina na cavidade, recoloque as velas e gire o volante na mão mesmo.Quando não for usar o motor mantenha-o na posição vertical pois isto mantém o rotor umidecido, se você deitar o motor terá provavelmente uma má surpresa ao reacioná-lo.Não ultrapasse a capacidade de carga do bote, o excesso de pêso pode ocasionar em ruptura do eixo num motor não dimensionado para o uso.Vendedores adoram empurrar o maior motor possível na hora de montar um conjunto, peça por escrito ao fabricante do casco a potência máxima indicad para o modelo desejadoa, verá como os HP’s diminuem e a segurança aumenta.

Boa Viagem!


Agora que você já obteve ótimas informações, que tal comprar um livro e deixar feliz o nosso patrocinador ?

 

Copyright@2015 Aventura Editorail Ltda | vendas@moanalivros.com.br